25 de março de 2009

o timing

Alguém sabe dizer porque razão os homem duram mais na cama nos primeiros tempos e depois aquilo começa a ser "a despachar"? Não devia ser ao contrário? No início a malta não conseguir conter-se com a novidade e a excitação, um corpo novo, uma nova expedição... e depois sim, com o passar dos tempos, a "rotina" a instalar-se, a líbido estabiliza abaixo dos picos de outrora, numa média/moda/mediana, o que implicaria "mais tempo para o mesmo fim"?



É ou não verdade que no início de uma relação o gajo é capaz de manter-se focado durante horas e depois deixa de ser assim?



Reflectamos juntos para ver se chego a alguma conclusão:



A malta começa o ritual em beijos prolongados, certo? Daqueles que dizem, sem falar, "come-me já e à bruta, sff*!". Dos beijos decorrem as mãos curiosas, que teimam em averiguar a qualidade do tecido, a adequação do corte, mesmo no escuro. Lentamente começa a ser exposta mais e mais pele, as bocas tendem a ficar abertas, mesmo sem razão aparente.



A pele e os lábios travam conhecimento, ("olá, eu sou a boca e vou-te comer". "Olá, eu sou qualquer-coisa e vou deixar-te comeres-me".) e criam-se momentos muito especiais, daqueles que depois se guardam no baú do "antigamente".



As mãos - essas malandras - vão desbravando caminho entre botões, zippers, elásticos, colchetes e livram-se de todos estes obstáculos com habilidade. Continuam a averiguar a maciez da pele, amassam e puxam e "palmadam" e beliscam e penetram e excitam e afagam.




Depois vem o hanky panky (e aqui ninguém precisa de explicações)...





O fim da "acção" traz ainda mais momentos ternos, com cuddling, mais beijos, recuperar o fôlelgo, arrefecer os corpos, mostrar gratidão por gestos, sem palavras.



Ok, já percebi o porquê dos timings. Com o passar do tempo o casal deixa de ter de pedir permissão, salta algumas etapas directamente para o hanky panky, e daí para o "querido/a, estou cheio/a de sono e amanhã acordo cedo, acho que vou dormir. Dorme bem. Amo-te".



:)



Percebe-se...



Há vezes em que o "come-me já e à bruta, sff" sai em vocalizações do tipo "não sei se devemos" ou "prometes que vais ser gentil?" ou ainda "não achas que é cedo demais?"...


(ok, mas se sair "não!" é "NÃO" mesmo. Esta palavra não deixa margem para interpretações...)



8 comentários:

afectado disse...

Há vezes em que o "come-me já e à bruta, sff" sai em vocalizações do tipo "não sei se devemos" ou "prometes que vais ser gentil?" ou ainda "não achas que é cedo demais?"...

HAHAHA



Bom texto!

Maldonado disse...

A intimidade mata o desejo e gera rotina... :(

de Marte disse...

Afectado, isto não é "só" texto, é citação!!! :)
Acontece e já aconteceu com muitas de nós.
voz: "ah e tal, não sei se deva beijar-te..."
cabeça: "do que é que estás à espera? rasga-me a roupa e possui-me na rua!!!"

de Marte disse...

Maldonado,
após "analisar" vários namoros (os nossos e, principalmente, os dos outros), eu e uma amiga (assim as estúpidas de serviço) chegámos à brilhante conclusão que é a partir do primeiro pum dado em frente à namorada que o desejo começa a morrer (intoxicado). Sim, a partir do primeiro pum. Bufa. Peido. Prrrrr!!!
A partir daí nenhuma mulher vê o homem com os mesmo olhos.

Eu sei que isto agora pode parecer absurdo, mas vais haver alguém que há-de estudar isto afincadamente e um dia ainda hás-de dar por ti a pensar: "a marciana é que sabia..."

:)

Maldonado disse...

Eh pá, já ouvi falar disso por aí! :D
Não me digas que vocês não se peidam, ainda que acidentalmente... :))

Karlytus disse...

hehe ora aqui está alguém como eu.. sem papas na lingua!! :)

por falar em lingua.. looool brincadeirinha.. vou tentar manter o nível.. ;)

Bom esta tua observaçao e questao tem mtooooo q se lhe diga e depende de vários factores..

Concordo com a tua ideia da coisa.. penso q qd é novidade a malta adora a sensação e se pudesse parar o tempo parava.. quer-se portanto prolongar a sensação o máximo q se puder.. depois, a malta quer é despachar a coisa.. é mais para satisfazer uma necessidade..

Claro q há excepcoes.. felizmente.. mas n tantas assim..

Há q tentar ir inovando.. há q dar asas à imaginaçao.. ;)


Beijinhos bem azuis e parabéns por este post.. gostei.. e tu? loool

de Marte disse...

Nós??!?! Nós, quem? As mulheres ou as marcianas??
(é que as respostas são diferentes...)

de Marte disse...

Karlytus, foi tão bom pra mim como pra ti, acredita! :)
Era exactamente disso que falava: no início são só duas pessoas.
Depois são duas pessoas, com as suas duas vidas mais a vida que eventualmente tenham em comum (e assim já são 3 vidas), mas os amigos, os problemas, os empregos, as felicidades, os jantares,... uma quantidade de coisas em que ter a cabeça.

Obrigada pelos azulinhos.
Manda aí um solinho sem ventinho, please...