10 de fevereiro de 2009

o tio crespo


O poeta é um fingidor


Logo, o tio Mário é um poeta!!!


(...E dos bons, carago!!!)






11 comentários:

Maldonado disse...

Achas?! Só porque não causou celeuma ao entrevistar a procuradora? :S

Luis Bento disse...

Salve Marte! Deus da guerra literária! Belo pedaço de irreverência e bom humor. O manifesto PUM é um "pastiche" iteligentíssimo...É para seguir! Evidentemente!

de Marte disse...

Maldonado,
Mário Crespo é um fingidor porque como pessoa, como homem, não precisa de se ofender ou sentir pressionado por Silva Pereira, por este lhe perguntar qual vai ser o guião da entrevista, ou por pedir para ser tratado por Sr. Ministro - e nem sequer estou a entrar em nenhuma visão estatutária ou deontológica.
Se Mário Crespo queria ser irreverente que tratasse o ministro por "Manel Pedro"!! Ou que lhe dissesse "porreiro, pah" após cada resposta!! Que lhe o brindasse com um "ganda nice, meu" ou coisa do género.
Podia mostrar o seu desagrado ao Silva Pereira e não ao país. O que é que eu chamo a isso? Queixinhas! Falta de elegância PESSOAL!
Em todo o artigo de opinião Mário Crespo levanta questões pertinentes, sim senhor. Tem todo o mérito. E ainda por cima sabe do que fala, não é nenhum tolinho (como eu) que vem para a praça pública meter a colher! Ele conhece os meandros, fala com as pessoas, ouve as pessoas.
Só me aborrece que tão distinta personalidade (jornalista com a carteira profissional nº 713, ou seja, um dinossauro nestas lides) não saiba discernir o que é matéria de artigo de opinião, do que é conversa de hora de jantar. Ele sabe muito bem que pedir o guião de uma entrevista não é nada transcendente. Pelo contrário, ele sabe exactamente o que é uma entrevista COMPLETAMENTE FICCIONADA, ENSAIADA e TESTADA.
Este homem, de tanto mérito, (e exactamente por lho reconhecer) não devia ter-se prestado ao papel de maldicente alarmista e tendencioso.

Nalgumas vezes vem o jornalista bater no peito e gritar Mea Culpa por causa do tratamento mediático exacerbado que têm alguns temas e que são tratados de tal modo que condicionam e influenciam a opinião pública, deturpando o fim primeiro da informação pela informação.
Noutras, assume o papel de justiceiro, veste capa laranja de honoris causa do Bem Comum, põe a mascarilha de jornalista e lá vem ele, senhor da (sua) verdade, opinar sobre este governo. Nuns artigos de opinião diz q as "fontes" de Belém não estão a servir a República nem a transparência da comunicação bla bla bla; noutro já diz que as fugas de informação são boas porque nos permitem saber coisas que doutro modo não se saberiam. As fugas de informação são péssimas! São a prova de que existe algo que vive na clandestinidade e que não pode ou não deve ver a luz do dia.
Não nos enganemos, a fuga de informação são o pão-nosso-de-cada-dia dos jornalista. Todos a procuram, muitos a forçam, alguns a provocam.
Vem dizer que é provável que José Sócrates não tenha legitimidade para continuar em funções devido ao escândalo Freeport. Mas, afinal, que profissão tem Mário Crespo? A de juiz?
É claro que cheira a esturro em Alcochete. É óbvio que este governo não tem como ou não quer ou não sabe governar às claras. E Felícia Cabrita é uma exímia jornalista, que sabe mais dos corredores escuros do país do que qualquer painel dos Prós e Contras (sem desmérito para ninguém).
Agora, a questão está em saber qual é o limite PESSOAL e PROFISSIONAL a que cada indivíduo se obriga. E parece-me que Mário Crespo ultrapassou o dele.

Este meu desabafo é mais ou menos como a chamada de atenção que fazemos a um amigo. Há coisas que só nos aborrecem porque temos expectativas altas relativamente à pessoa. Hoje estou desiludida com o Mário Crespo porque sempre o achei acima destas (chamemos-lhes) tricas. Não lhe assenta bem o papel e passa a sensação de puppet, coisa que me recuso a aceitar que seja.

(E este foi o meu artigo de opinião. Mai nada.)

afectado disse...

o mário crespo nessa questão do ministro silva pereira devia ter estado calado. não me parece que as duas perguntas que o ministro lhe fez previamente sejam sequer graves para se fazer alarido. o que acontece é que mário crespo não deve ter gostado de como a entrevista acabou e o tom que o ministro usou no fim da mesma. mas isso também eu não gosto de muita coisa. (já agora, como é que portugal pode ir a algum lado quando tem um ministro como silva pereira que não é mais do que um fantoche do sócrates? enfim...)

quanto ao artigo em si, mário crespo faz insinuações nuns casos, põe o dedo na ferida noutros. eu não me chateia o artigo de opinião dele. porque é isso mesmo, artigo de opinião. não é uma peça jornalística. e um artigo de opinião pode ser escrito por ele, por nós, pelo zé maria do big brother, etc. é só isso, opinião. levantou suspeitas e isso é errado? pois, não digo que não... mas que fez josé sócrates quando falou em poderes ocultos? ou alguém pensa que ele se referia à maya e ao mestre alves? se nem o nosso primeiro ministro sabe estar neste caso sem levantar suspeitas (graves), como se pode querer que as outras pessoas estejam?

o que mais me deixou perplexo foi ler uns blogues de esquerda a criticarem o mário crespo porque como é jornalista devia se abster de dar opiniões. não alcançaram que ali ele é apenas a pessoa que escreve o artigo de opinião. talvez não se possa dissociar ambos, mas não se pode também juntar tudo no mesmo saco...

e no fundo esses que o criticaram (ao emitirem também uma opinião) cometeram logo um erro que deitou por terra alguma credibilidade que as suas palavras pudessem ter... é que também são jornalistas. ou serão diferentes de mário crespo e eles podem opinar que mário crespo não deve opinar? porquê, só porque a opinadela de mário crespo é diferente da deles?

e nisto o caso mais estapafúrdio é o da famosa f. ela opinou sobre o que mário crespo opinou, afirmando que ele não devia opinar. mas quem devia opinar menos era ela porque além de jornalista ainda anda enrolada com o sr. sócrates (sim, porque engenheiro não é). ou seja, ela é que teria motivos para estar calada e não fazer figuras de ursa como anda há muito a fazer...

acho que já me alonguei, mas eu gosto de uma boa troca de palavras :)

resumindo: opinam muito e pinam pouco. aposto!

de Marte disse...

Amanhã volto para te responder. Agora tenho que ir descansar as olheiras! :)

M

afectado disse...

ficarei à espera :)

de Marte disse...

Mário Crespo sabe que a opinião dele, seja em que moldes for, conta para a opinião pública. E marca.
Salvaguardado pelo tipo de artigo que escreveu (opinião) pode levantar as suspeitas que quiser porque não está a violar o Código Deontológico. E daí?
Toda a gente que lê fica a pensar: poderia ele, querendo, provar o que diz? Que motivações (se as há, obscuras) estão por detrás destes sucessivos artigos opinativos?

Os canhotos (e são alguns, não generalizes) sentem-se impelidos a defender o Zé e a Nanda. Mas, fazendo parte da mesma "família", parece-me natural que o façam. Tu farás o mesmo pelo teu "Capo". :)

E claro que os crespos, as f., os zé maneis fernandes e afins estão obrigados a uma série de regras - e todos às mesmas!!
Vir um opinar que o outro não devia opinar é uma pescadinha de rabo na boca. É incoerente, sim sr. E na proporção directa da exposição mediática de cada um.

É deselegante para cada um deles e deselegante para a classe.

Bjos.
M

de Marte disse...

Luis Bento,
Ainda bem que gostou do que leu.

Como a cadência da boa produção literária é completamente irregular não prometo que goste sempre do que aqui se escreve,...
...por isso recomenda-se o acompanhamento de perto com lupa telescópia.

Volte sempre.

Cumps.
Marte

Francisco Castelo Branco disse...

Devia estar o fato e a espada de D.Afonso Henriques...

DA maneira como enfrentou o Major, o país devia lhe estar agradecido.
Pois nao e qualquer um que poe o Major na Linha

E este ultimo artigo dele é bem elucidativo do estado da país...

Ninguém reage e toda a gente se cala!!! menos ele

Saudações

Gostei do blogue

voltarei

martini disse...

isto por aqui anda animado! ainda bem que eu não me meto em política.. ahaha, beijinhos

de Marte disse...

Martini,

isto aqui andou ao rubro mas agora acalmou. É só até haver um novo escândalo político. (E não vai demorar...)


Kisses

M.