24 de novembro de 2008

Excepção vs. regra

"A excepção confirma a regra."
Já ouviram esta expressão algures aí, não? O que raio quer dizer?!?!?


Como é que uma excepção pode confirmar uma regra? Pensem sobre isto!!

Uma regra é o que é: o preceito, a norma, a lei.

Uma excepção não confirma nada. Sai fora do caminho, é excêntrica.

Como é que uma algo excêntrico pode confirmar uma disposição? Epah, não pode.

Não há explicação para o verbo “confirmar” nesta expressão estúpida e odeio-a porque não faz sentido.

A excepção faz com que não haja uniformidade. Ou seja, existe uma norma mas não é invariavelmente aplicada porque existe a excepção.

Logo, a excepção não confirma a regra. Não a corrobora. Pelo contrário. A excepção inutiliza a regra. Mata a regra. Acaba com ela, pois mostra como é falível.

A excepção é um desvio, uma condição, uma ressalva. Existe para ser adita à regra e faz dela insuficiente, incompleta. E uma regra incompleta não me parece uma boa regra, pelo menos em teoria.

Reconheço a necessidade de estabelecer salvaguarda a algumas situações específicas, mas essa salvaguarda não pode nem tem como função confirmar a regra, mas alterá-la, definir as condições em que a regra não é aplicável. A excepção enriquece a regra que é pobre.

A excepção clarifica a regra – mas não a confirma!! Not in (y)our lifetime!

Dá as voltas que quiseres ao texto. A excepção não confirma shit.

11 comentários:

Maldonado disse...

Mal de nós se o mundo fosse todo uniforme! :-O
De facto é como dizes, pois a excepção jamais poderá confirmar a regra, mas tão-somente ampliá-la de conteúdo, redefinindo a sua forma...
Tu és uma filósofa nata! Será que antevejo uma futura Simone de Beauvoir ou uma Hannah Arendt? ;)

Gi disse...

A excepção confirma a regra de que há excepções à regra.
Se eu fosse político, ou advogado, ou juíz dir-te-ia isto com toda a certeza. É nos hiatos que, tantas vezes, está o que se deve (a)perceber ;)

de Marte disse...

Maldonado,
sou uma pobre criatura! Nem sequer tenho nome... :) (poor me!)


Gi (belo nome, este - podia adoptá-lo para mim!!!),
a partir do momento que há excepção, o nome já diz tudo... vem do latim exceptione e não vem confirmar nada.

É como dizer que "o anormal" confirma "o normal". Quando muito confirma a EXISTÊNCIA do "normal", pois é oposto a este. Mas toda a gente sabe que uma definição baseada em antónimos é uma má (péssima!!!) definição! Enfim...
Já tenho um nó nos miolos! :)

De qualquer modo tens razão, é na falta de clareza da regulamentação que melhor se apr(e)ende, quer a respeitá-la, quer a contorná-la! (So they say...)

Beijooooooooos

Vocês fazem-me pensar demais. Depois dou o tilt e como é que é? :)

eu disse...

A excepção (o anormal)justifica a necessidade do conceito de regra (normal), logo confirma o conceito.

Um abraço

de Marte disse...

Cara EU,
a minha visão da regra e da excepção diz-me que estes são conceitos complementares. Ou seja, a excepção só faz sentido porque existe uma regra a... "quebrar".
Mas o que justifica a necessidade do termo "regra" é a existência do conceito da própria regra, tal como o que justifica a necessidade do termo "excepção" é a existência de excepções, do conceito que temos de ressalva.
Parece-me líquido...

Continuo sem perceber a cena da "confirmação", mas acredito que seja o meu raciocínio a estagnar! :)

Beijinhos e obrigada pelo seu contributo nesta "discussão". Apareça mais vezes.

de Marte

Concha disse...

Se há excepções que confirmam as regras, a solução para não haver excepções será não haver regras.

de Marte disse...

Ui ui...
Não haver regras é uma ideia muito estranha para mim. Preciso da regra para poder quebrá-la e sentir-me o máximo, super radical!! Gosto dessa ilusão pq de facto sou tão certinha que até chateia! :D

osbandalhos disse...

Não só a 'excepção' confirma a 'regra', como a convida para jantar. Se a 'regra' prefere jantar com a 'excepção' em vez de com o 'excepcional', é coisa que não me interessa shit.

de Marte disse...

Bingo! :)
Haja quem mem compreenda!
(pões-te a comentar à hora de transmorfar e dá nisto. Vá, bora lá jantar.)

Catwoman disse...

Só existem regras porque existem as excepções. Como tudo na vida só existe algo quando também existe o seu oposto.

de Marte disse...

Catwoman,
Eu diria antes que só existem excepções porque existem regras! Assim sim, já nos entendemos! :D

Volta sempre!!! :)
Beijinhos de Marte