21 de dezembro de 2008

MAKE ME GO(O)D

Deixo aqui uma reflexão:

Os padres são casados com Deus.

Ora, se a Igreja católica é contra os casamentos homossexuais… existe aqui alguma incongruência?

E as freiras? Também são casadas com Ele! Se a Igreja Católica se posiciona contra a poligamia… que exemplo é este? Conseguem denotar aqui um padrãozinho?

Pois é, no meio disto tudo o Pai é o único inteligente: tem uma quantidade enorme de mulheres casadas com Ele e, segundo a Sua própria “lei”, nenhum homem o pode fazer!!!

Os que querem ter muitas gajas, em primeiro lugar são pecadores – seres menores e merecedores de todas as vis consequências – e em segundo lugar se as querem, tem de ser como amantes. E todos sabemos que as amantes custam muito dinheiro. Como é que o Pai contornou isto, de maneira a não gastar balúrdios com as esposas freiras? Inventou o voto de pobreza! Mai nada!

Vai daí não há cá luxos pra ninguém: não há nails, extensões, nuances. Há hábito.

Não há Prada, Gucci, D&G. Há hábito.

Não há discotecas, copos, saídas. Há repressão.

Então e como manter as senhoras calmas, sem andarem a trepar paredes por não terem a satisfação sexual de que precisam? Voto de castidade! Está feito! As senhoras não praticam e não ousam pensar em treze orgasmos semanais porque senão não há Céu para ninguém! Tudo controladíssimo!

E claro, o Sr. Senhor até tem um dia dele. “Ah e tal o domingo é o dia do Senhor”. Tá bem, mas e os outros dias não são d’Ele também? Se é Ele o Criador!!!!!

Com tanta repressão Ele devia é dar um dia de borla para as miúdas fazerem loucuras. 7+1. Chamar-se-ia pistacho, esse dia. Sim: segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado, domingo, pistacho. “O meu dia preferido é o pistacho”, soa bem!

Mas Ele é muito esperto. (Foi Ele que criou os testes de QI, está bom de ver)!! Como é que Ele consegue evitar que as invejosas se preguem à batatada umas às outras? Por um lado porque, devido ao voto de pobreza as esposas não podem pavonear as roupas ou sapatos ou maquilhagem ou essas futilidades que desencadeiam puxões de cabelo e agressões verbais (ou, muito raramente, mas muito mais excitante, lutas na lama). Por outro lado, espeta-lhes com uma madre superiora, que é o que mais se assemelha à figura da sogra para estas pobres raparigas! Ele deve ter levado muito tempo a magicar o Seu plano, mas foi muito bem sucedido! (E eu é que sou maquiavélica, hein?)

Mas perante o estilo de vida destas raparigas voluntariamente pobres, presas, devotas e proibidas de explorarem a sua sexualidade (será que sou só eu que leio aqui "Síndroma de Estocolmo"?), eu primeiro pensaria em fazer uma denúncia por tortura à Amnistia Internacional e depois facilmente consideraria a hipótese de as senhoras, com o tempo, se fartarem d’Ele e das suas manias monogâmicas, procurando consolo noutros braços. Como é que Ele previne que isto Lhe aconteça? Lança o boato de que só Ele é omnipotente. Ora, esta é a suprema injustiça para todos os outros seres. Por muito potentes que sejam, contra um OMNI a luta é assimétrica!

E para além disto, elas que não pensem em queixar-se e dizer que Ele viaja muito, que não lhes dá atenção, nunca está em casa e que é um marido ausente. Ele rebate logo alegando que é… omnipresente!

E para elas nem ousarem pensar em traí-Lo, lançou o boato de que é omnisciente!

I rest my case.

E alguém ainda tem a lata de me perguntar porque é que O admiro????

10 comentários:

Maldonado disse...

É uma reflexão bastante pertinente, embora irónica, das incongruências da doutrina católica, a qual radica no conceito de culpa judaico-cristão, sempre presente na sexualidade ocidental e árabe.
Realmente Deus é como o Frei Tomás: façam o que ele diz e não o que ele faz...
Curiosamente este post aborda a questão da sexualidade de Deus numa perspectiva tão interessante quanto a tua:

http://aminhainconstancia.blogspot.com/2008/06/e-se-deus-for-gay-lisboa.html

de Marte disse...

Fui ler. A abordagem é QUASE tão interessante como a minha! :) Gostei do blog. Thx.
O que não me seduziu foi a abordagem de tipo "não se pense que eu não gosto deles [os gay]", "eu até tenho amigos gay", "são pessoas espectaculares" e last but not least "eu adoro minorias".
Isto soou-me um bocadinho a Luciana Abreu que quer adoptar uma criança sofrida, doente e ranhosa. :)
Mas a linha de raciocínio do blog da inconstância está bom. Muito bom. E o humor salpica definitivamente os posts dela. Obrigada pela dica.

Beijos marcianitos

Maldonado disse...

Por acaso é um blog que aprecio bastante, pois identifico-me com a filosofia de vida da sua autora.
Realmente essas citações têm uma certa ambiguidade, mas garanto-te que não têm má-fé. É a velha questão wittgensteiniana da ambiguidade da linguagem... :)
É recomendável a leitura desse blog. ;)

de Marte disse...

Maldonado, n estava a citar. Estava a reproduzir (mais ou menos) a ideia, não estava a ser fiel. Como em tudo, estava a gozar com a situação. A descontextualixar e deturpar. (São as especialidades da casa! É isso e pezinhos de coentrada.)
Mas vou passar a ler com atenção, por ser recomendação tua. E depois poderei comentar com conhecimento de causa.
Recebes comissão? ehehehe. Era merecido...

Maldonado disse...

Receber comissão? Não era mal pensado... deste-me umas ideias para 2009... :)
Quanto às "especialidades" do teu tasco, tem que se ter cuidado com elas, pois são bastante condimentadas, podendo provocar reacções inusitadas... :))

de Marte disse...

.










(Esta página foi deixada propositadamente em branco )










:)

Anónimo disse...

"A abordagem é QUASE tão interessante como a minha! :)"

Como?!!!

de Marte disse...

Tem razão, anónimo! Tentei perguntar-me a mim mesma de que modo a abordagem da tal bloguista era QUASE tão interessante como a minha... e realmente... nem "quase". A minha é que é boa e mai nada!
Obrigada.

:P

Beijos de Marte

martini disse...

ahah, pistacho: o melhor dia da semana!

de Marte disse...

Vês, vês?
Diz lá que um oitavo dia, o dia de S. Pistacho, não era uma boa medida a tomar!!