19 de setembro de 2008

um homem

Sinto-me profundamente atraída por homens inteligentes. Daqueles que não deixam que lhes dê a volta. (Estou agora a lembrar-me de um...)
Hoje quando o vi vibrei. Cheirei-o naquele microssegundo que demora um cumprimento. Cheira a sonho. Acho que toda eu sorria. Parecia catraia, mas só me apetecia cantar, abraçá-lo, dar-lhe beijinhos no nariz pequerrucho, na testa alta, só queria revolver-lhe os fios de cabelo de ouro. São especiais.
Ele é especial.
É o homem que tenho vontade de ter ao meu lado hoje. Calmo, tranquilo, extremamente inteligente, um poço de ironia, e frágil q.b.. Não o mostra muito, mas é frágil! Não é homem que chore a ver filmes, mas é do tipo que oferece uma flor por motivo nenhum, que gosta de ouvir o que tenho para dizer. É do meu tipo, este tipo que não é meu.





"Já tens as coordenadas! Anda ter comigo. Vamos calçar meias grossas, correr aqui por casa e deslizar no soalho! Anda comer pipocas no sofá, com as pernas enroscadas, a ver séries da treta na tv. Anda."

2 comentários:

Maldonado disse...

É uma atracção fatal... ;)

de Marte disse...

Não...
É uma MISSÃO IMPOSSÍVEL!!!