30 de setembro de 2008

flirtar

A arte de flirtar é algo que nunca dominarei.

E não digo isto com o mínimo de angústia: prefiro deixar-me levar, construir a dois, do que dominar e pôr em prática um “modelo”.

Creio que o processo que leva à aproximação de duas pessoas é… estimulante.

Conhecem-se, aproximam-se, fazem concessões; discutem, trocam informação, baixam as guardas. (Estou a ser o mais clara possível para saberes que estou a falar de ti).

Ambos sabemos que andamos a apalpar terreno e sabemos que isto… é o que é e nada mais.

Com prazos pela frente e dois feitios complicados, muitíssimas agravantes fazem com que eu me reprima nalgumas coisas.

Voltemos ao flirt.

Gosto do jogo do gato e do rato, das palavras com dois sentidos, da maneira como tudo é dito até um limite e as interpretações ficam na consciência de cada um. Gosto disto contigo. Não é algo que costume fazer. Creio que costumo ser mais “directa”, menos encantada.

Por agora ando extasiada, maravilhada, atraída, cativada, encantada contigo. Principalmente por não me caíres nos braços com facilidade. A tua luta aguça a minha vontade. O teu afastamento e aproximação q.b. potenciam o meu desejo.

Tenho fantasiado inúmeras cenas, umas corriqueiras, outras mais tórridas, em que és personagem principal. Tenho pensado muito em ti, em quem és, no sabor que terás. Quero ficar a escutar-te horas a fio, quero ver-te sentado, a fumar, no largo parapeito da minha janela antiga, com cornucópias de fumo a saírem-te pela boca. Quero fotografar-te a dormir, quero beijar-te para que acordes, quero fazer amor contigo de manhãzinha e ouvir-te gemer discretamente como, aliás, parece ser teu apanágio em tudo.

Quero conhecer-te e saber o que pensas sem que o digas. Quero perceber as tuas manias e os teus caprichos. Quero jantar contigo, beber contigo, namorar contigo, passear contigo. Quero dar-te a mão na rua e beijar-te sem motivo, como os garotos.

Quero que partas com esta recordação minha. Que me guardes num cantinho novo, livre de jornalistas.

8 comentários:

Maldonado disse...

Flirtar é como estar nas matas do Ultramar a ser emboscado pelos turras... ;)

de Marte disse...

Maldonado,

com um bocado de azar és o meu pai! Pensas como ele, tens um humor como o dele, falas das mesmas experiências, comparas tudo com o ultramar! Isto já me cheira a esturro!
(Oh pai, és tu ou quê???
Eu não fiz nada disto que está aqui no blog, ok?)

Maldonado, de qualquer modo, se se desse o infortúnio de descobrirmos que atrás dos nossos "personagens" estavam o meu pai e a tua filha, passavas a ser bem menos compreensivo, não? Ehehe!

Obrigada pela tua fantástica presença aqui!

Beijos de Marte

Anónimo disse...

flirtar online é bom é no amiguinhos.com ;)
Por acaso flirtar online deveria haver uma palavra propria para isso

Maldonado disse...

Está descansada que não sou o teu pai nem tenho idade para sê-lo, pois sou muito mais novo, pertenço à ex-geração rasca (ou à rasca)... ;)
E não tens nada que agradecer, pois aprecio muito a tua escrita intimista. Deves ser uma pessoa fantástica no mundo real...
E quando puderes, passa pelo meu tasco a fim de comentares o meu post mais recente, cuja temática certamente apreciarás... Sem esquecer os outros mais antigos, claro... ;)

de Marte disse...

anónimo,

podemos fazer um brainstorm até arranjar a palavra certa! Olha que não vai ser fácil (nem consensual) :)


Maldonado,

Ufaaaaaaaaaaaaaa! :D

(podes crer que vou continar a comentar).

Maldonado disse...

OK, esperarei sempre pela tua prontidão comentarística... LOL
Já agora, espero que sejas mesmo maior de idade e não uma pita que tenta passar por uma femme fatale... ;)
Quanto aos teus posts, ainda não percebi bem qual é a fronteira entre a realidade e a imaginação...
Despertas-me muitas dúvidas existenciais! LOL

de Marte disse...

Maldonado,

já sou não-pita no BI há uma série de anos... os suficiente para me distanciar da pitarice, mas não tantos que me provoquem problemas com as rugas ou que me deixem esquecer quão bom foi ser pita.
E quanto a ser femme fatale... tou longe disso! O meu (vá lá...) problema é mesmo as realidades e as fantasias andarem todas emaranhadas!
Mas a advertência vem feita junto ao título do blog. Só se deixa enganar quem quer. E tu queres!

:D

Pronto, agora que já te baralhei mais um bocadinho, posso voltar ao trabalho!

Beijos marcianos da pita-fatale!

Maldonado disse...

OK, terei em conta o que disseste, bem como a advertência do teu blog... ;)
Posto isto, folgo em saber que já tens suficiente maioridade para seres comestível e estares pronta para o abate... LOL