28 de fevereiro de 2010

"Queres companhia?"


Todos os sábados à noite (já domingos de madrugada, algures entre as 2am e as 7am) recebo a mesma mensagem: “queres companhia?”.
Das primeiras vezes achei excitante o tipo quase desconhecido e sobejamente viril abordar-me desta maneira. Em cinco segundos respondi enviando-lhe a morada. Nas vezes seguintes apenas lhe respondia “Despacha-te”. E ele, bem-mandado, despachava-se. Vinha e despachava-me e vínhamo-nos. Só já deitados eu tinha tempo para tomar ciência do cheiro a fumo trazido das noites badaladas de onde este tipo aparecia, invariavelmente alcoolizado e feliz. Falávamos muito durante os cigarros que ele fumava, nu, à janela do meu quarto. Quando não estávamos, (eu) a falar e (ele) a fumar, fodia-me sem misericórdia, como se me punisse. Nunca fez amor comigo, era sempre um saciar de apetite como se da última vez se tratasse.
A última vez, de facto, não tardou.
A minha resposta habitual – o “despacha-te” – deu lugar a um “não posso porque…”, bastante mal cozinhado. Entretanto aumentei o rol de desculpas e o “estou muito cansada” serviu pretty well. Escudava-me e escusava-me com o trabalho, com outros programas,… cheguei ao burlesco e risível cúmulo das indisposições várias como  a célebre dor – a de cabeça e outras.
E estas foram as únicas mensagens que trocámos desde então: todos os sábados, devotamente, a mesma pergunta e uma resposta diferente na forma, mas não no conteúdo.
Há uns meses deixei de responder, mas continuo a receber o “Queres companhia?” como se de uma religião me tratasse. 

16 comentários:

Miss Complicações disse...

Pq paraste de responder? A queca não era boa? Fartaste-te?

Vani disse...

uoh...atracção fatal, cuida-te...

Maldonado disse...

1. Antes de mais, tiro o chapéu à tua versatilidade blogueira. Ou seja, tanto nos brindas com textos ricos de humor acutilante como com textos intimistas que tocam o âmago do leitor.

2. Quando a companhia e a respectiva foda é insatisfatória, o melhor é afastarmo-nos dela...

3. Para ele continuar a insistir é porque o habituaste mal. ;)

de Marte disse...

Miss complicações,
eu não tenho de ter razões para NÃO QUERER alguém na minha cama. Tenho de ter motivos para QUERER. :) Certo?

de Marte disse...

Vani,
cuido sim sra. ;) no worries

de Marte disse...

Maldonado,
toda a gente tem o lado intimista e o pantomimeiro. Eu sinto-me mais confortável na palhaçada, confesso. :)
A companhia/foda não tem de ser insatisfatória para não se querer mais. E normalmente as pessoas insistem mais pelo hábito, pelo sentimento de perda, ego outrora inflamado ou medo de solidão do que pela vontade genuína de estar com alguém.
As pessoas têm medo de estar com alguém de quem gostem. Eu sei que eu tenho. Perde-se o controlo e fica-se exposto a um outro que não sabemos se será um bom "fiel depositário" dos nossos bens preciosos. Infelizmente a única maneira de descobrir é tentar.

(E nem é tão mau como parece...)

Vani disse...

perde-se o controlo e fica-se exposto e, se o objecto da nossa exposição não for o tal, arriscamos muito. Mas, quem nao arrisca nao petisca...

Vani disse...

E, sim, és uma Escritora Excelente.

Os E maiúsculos não são enganos. :)

de Marte disse...

Vani,
eu gosto de petiscar, n há nada a fazer!!! :P

E obrigada pelos EE!! (ihihih)

afectado disse...

elogiar a tua escrita já se torna cansativo para mim e de tão evidente que é a sua qualidade que nem me parece necessário voltar a fazê-lo post a post :)

quanto ao amigo da mensagem, ou tu fazes magia na cama ou ele tem algo de obsessivo nele, já para não referir o pedante.

continuando assim... disse...

:) , lembrou-me uma história minha...antiga :)

bj
teresa

de Marte disse...

Afectado,
obrigada por não me elogiares. Foi feito de modo brilhante! :)
Quanto à "magia", achei uma expressão linda... (e ainda que me apetecesse muito mentir à comunidade e dizer que sim, a verdade é que faço mais "ilusionismo" na cama que outra coisa). Sou a Houdini do leito.
:D


(e digo coisas mesmo parvas...)

de Marte disse...

Teresa,
a história não é minha nem é tua, é de quem a apanhar. ;)

***

continuando assim... disse...

uma história passada comigo...entenda-se :):)

beijo
teresa

de Marte disse...

Exacto, e pode passar-se com tantas outras pessoas, no complicadíssimo equilíbrio de poder dos encontros pontuais.

*

Tia Complicações disse...

@De Marte:
Depende do ponto de vista. Prefiro ter razões para não querer quando se tem, do que se querer algo que não se tem.
Antes contrariar do que ser contrariada ;)