21 de agosto de 2009

asco


ASCO

5 comentários:

Maldonado disse...

Fiquei indignado com a justiça escocesa, pois abre um precedente na Grã-Bretanha para casos análogos.
Um terrorista, tenha um cancro ou não, deve pagar pelas atrocidades que cometeu, pelo que não há que ter compaixão por ele.
Se fosse possível, ele deveria morrer 230 vezes...

Vani disse...

oh... :'(

afectado disse...

Que parvoíce!

de Marte disse...

Maldonado,
este é um tema que me revolta as vísceras, daí não ter postado quaisquer comentários ao assunto.
Revolta-me que este homem seja libertado por motivos humanitários e que seja recebido como herói. O herói que mata na Europa. Autor material do atentado que matou dezenas de pessoas.

Libertado por se saber que ía morrer?!?!? Libertem também os condenados à cadeira eléctrica, no próprio dia da execução. Ou morrer lentamente tem direito a mais humanidade que morrer de repente??

Pro caralho, esse gajo.
Arrelia-me este tema, enoja-me o Khadafi e dá-me urticária a recepção do Al-Megrahi.

Uma bofetada aos europeus preocupados com o bem-estar do bombista e da sua pilinha.

de Marte disse...

Vani e Afectado,

é uma merda, isto.

Já leram o que escreveu o Cirrus? Dêem lá um salto. http://cirrusminor-cirrus.blogspot.com/